VI Semana Nacional do Cérebro

Data: 13 a 17 de março
Local: Salão de eventos do CeTI-RP/USP e na sede do INeC, Av. do Café nº 2450
Inscrições gratuitas: Clique aqui


Com o objetivo de divulgar os benefícios do estudo do cérebro, o Instituto de Estudos Avançados (IEA) Polo Ribeirão Preto da USP e o Instituto de Neurociências e Comportamento (INeC) realizam entre os dias 13 e 17 de março diversas atividades relacionadas à sexta edição da Semana Nacional do Cérebro.

O evento faz parte de uma campanha global coordenada pela Dana Alliance for Brain Initiatives e a European Dana Alliance for the Brain que reúne anualmente universidades, hospitais e diversas organizações durante uma semana para popularizar conhecimentos na área de neurociência. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento (SBNeC) chancela a Semana Nacional do Cérebro.

No primeiro dia do evento, as atividades estarão concentradas no INeC. A partir das 8 horas, os docentes da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP Júlio César Morigutti, Fabiano Saggioro, Adriano Sebollela e Caio Matias participam da palestra “Entendendo a Doença de Alzheimer – do diagnóstico ao tratamento. Eles vão abordar as últimas novidades da neurociência sobre os fenômenos que levam um cérebro saudável a ter a doença de Alzheimer, além de aspectos sobre o diagnóstico e o tratamento da doença. 

Às 11 horas, a neuropsicóloga Camila Monti Oliveira mostra os objetivos de uma avaliação neuropsicológica, suas indicações e as diferentes formas de atuação de um neuropsicólogo na palestra “Avaliação neuropsicológica: para quê e para quem?”.

À tarde, a partir das 14 horas, os docentes da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP conduzem uma oficina de neurociências e neuroarte. Alunos de pós-graduação da FMRP-USP desenvolverão atividades sobre tópicos relacionados à neurociência de forma lúdica, voltadas a crianças de todas as idades.

Na terça-feira, a manhã terá como tema “Cérebro, Música e Artes Visuais”, no salão de eventos do CeTI-RP, a partir das 9 horas. Na palestra “Um passeio divertido: neurociências, biomúsica, tecnologia, saúde e instrumentos de sopro”, o pesquisador Sérgio Mascarenhas aborda inovações em métodos não-invasivos para monitorar a pressão intracraniana e arterial e aplicações transdisciplinares de investigações sobre o sistema nervoso central em ciência, arte e saúde.

Em seguida, o docente do Departamento de Fisiologia da FMRP-USP Norberto Cairasco faz uma viagem por manifestações de cunho estético, desde as cavernas pré-históricas até a Renascença na palestra “Da arte das cavernas do Paleolítico/Neolítico às cavernas urbanas científicas-artísticas-digitais contemporâneas”. 

No período da tarde, a partir das 14 horas, duas palestras fecham o dia: “Transtornos de humor na análise do comportamento”, com a psicóloga do Centro Universitário Barão de Mauá Juliana Setem, e “Explorando a memória e as emoções”, com o docente da FMRP-USP Norberto Coimbra.

Na quarta-feira, a partir das 8h30, será lançada no salão de eventos do CeTI-RP a Rede Ciência, Arte, Educação e Sociedade (CienArtES). O lançamento inclui uma mesa redonda e palestras com Cairasco, o professor da Unifesp Eduardo Kickhofel, a presidente da Fundação Feira do Livro e Leitura de Ribeirão Preto Adriana Silva, o professor da Faculdade de Economia e Administração de Ribeirão Preto (FEARP) da USP Daniel Domingues dos Santos e o educador social do Núcleo de Cultura Periférica Elieser Pereira.

A tarde do dia 15 será marcada por atividades no INeC. No seminário “Sono e Cérebro”, às 14 horas, a neurologista clínica Letícia Vianna vai discutir funções de um sono com qualidade, como aprendizado, memória e estados de humor. Às 16h30, a doutoranda em Fisiologia Lívea Dornela de Godoy e a aluna de pré-iniciação científica Palloma Beatriz Damas discutem o comportamento materno, com foco nos impactos do cuidado materno e estresse precoce no sistema nervoso e na sociedade.

No dia 16, pela manhã, o INeC recebe duas palestras. Às 9 horas, a docente da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP) da USP Janete Anselmo Franci aborda as modificações hormonais ocorridas na menopausa que são responsáveis por sintomas como ansiedade, depressão, estresse e os chamados “fogachos” (sensação de calor). Já às 10h30, Roberta Monteiro Incrocci fala dos aspectos neurofisiológicos de diferentes tipos de drogas, além de questões relacionadas ao abuso e suas consequências.

À tarde, a partir das 14 horas, no salão de eventos do CeTI-RP, a mesa redonda “Cognição e emoção: aspectos biológicos e psicológicos” apresenta aspectos biológicos e cognitivos envolvidos no processo emocional, além de uma atividade prática de reconhecimento emocional. Os palestrantes serão Norberto Cairasco, a neuropsicóloga do Hospital das Clínicas FMRP-USP Nayanne Beckmann Bosaipo e o doutorando em Neurociências Vinícius Ferreira Borges.

Para o último dia do evento, estão programadas três atividades. Pela manhã, no INeC, às 9 horas, a mestranda em Psicobiologia Tatiane Possani fala do comportamento autolesivo dos jovens, ou seja, o ato de se machucar ou fazer mal a si mesmo. Em seguida, Gabriel Arantes, mestrando em Psicobiologia pela FFCLRP-USP, realiza a palestra “Atenção do dia a dia”. 

Encerrando a Semana, às 14 horas, o pós-doutorando em Genética Artur Fernandes, a psicóloga Marli Occhinni, a enfermeira e especialista em saúde coletiva Anna Maria Chiesa, a confirmar, e a fundadora do Saúde Criança Vera Cordeiro, a confirmar, comentam o documentário “O Começo da Vida”. O objetivo é debater o desenvolvimento psicológico das crianças e o impacto da herança genética e de aspectos ambientais na formação do caráter e nas relações interpessoais.

Clique aqui para acessar as informações detalhadas de cada evento.

Chegada da Fiocruz a Ribeirão Preto será tema do USP Analisa

Após 16 anos de negociações, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) chega ao Estado de São Paulo. A instalação da plataforma bi-institucional, localizada em Ribeirão Preto, será tema do USP Analisa desta semana. O programa entrevista o pesquisador titular da Fundação e coordenador do projeto da plataforma Rodrigo Stabeli.

“A Fiocruz é uma autarquia do Ministério da Saúde presente em 11 Estados. Ela é voltada à pesquisa de problemas brasileiros, sobretudo na saúde. Por exemplo, a linha de frente da vigilância das epidemias no País, por exemplo, é feita pelos laboratórios de referência da Fiocruz e pelo Instituto Evandro Chagas, do Pará. São 116 anos de existência, que começaram com o combate a moléstias brasileiras da época como a febre amarela e a peste bubônica quando a Fiocruz ainda era chamada de Instituto Soroterápico Nacional”, explica.

Em Ribeirão Preto, a Fiocruz vai atuar em parceria com o Supera Parque, da Prefeitura Municipal, e três unidades da USP: a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) e o Hospital das Clínicas. O objetivo da plataforma é desenvolver pesquisa translacional na área de produção de bioinsumos, biofármacos e chips diagnósticos point of care. Os primeiros chips para diagnóstico estarão focados em zika, dengue, chikungunya e exames eletivos para o programa Rede Cegonha do Ministério da Saúde.


“O Brasil tem um déficit de R$ 15 bilhões na balança comercial em virtude da importação de medicamentos disponibilizados pelo SUS. A plataforma pretende atuar em desenvolvimentos que possam agir na redução do déficit comercial, usando a inteligência brasileira e seus parceiros para fazer produção nacional utilizando o que está preconizado pela política do Complexo Econômico e Industrial da Saúde. A atuação da plataforma bi-institucional tem como objetivo gerar subsídios que possam ser colocados na cadeia de inovação da Fiocruz, em seus centros de prototipagem e de produção para que esses processos e insumos possam ser colocados no caminho industrial e ofertados à população. A iniciativa é inédita no País e conta amplamente com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Ribeirão Preto”, diz Stabeli.

A entrevista vai ao ar nesta sexta (24), a partir das 12 horas. O USP Analisa é uma produção conjunta da USP FM de Ribeirão Preto (107,9 MHz) e do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP.

Diabetes exige estilo de vida mais saudável dos pacientes

Uma doença silenciosa, que atinge cerca de 13 milhões de brasileiros e é considerada atualmente uma epidemia. Esse é o diabetes, um problema que afeta a produção de insulina, hormônio fundamental para controlar a quantidade de açúcar no sangue. Para esclarecer uma série de dúvidas que a população ainda tem sobre a doença, o USP Analisa desta semana conversa com o médico e pesquisador da Equipe de Transplante de Células-tronco da USP Ribeirão Preto Carlos Eduardo Barra Couri.

Ele explica que o diabetes se manifesta de três formas. O diabetes tipo 1 atinge crianças, adolescentes e pessoas magras e exige a aplicação diária de doses de insulina. O tipo 2 está presente em 90% dos casos e acomete idosos e adultos, em consequência de fatores genéticos, obesidade e maus hábitos alimentares. Já o tipo 3 é o diabetes gestacional, que pode ocorrer somente durante a gravidez.

Segundo Couri, a doença não deve ser encarada apenas de forma negativa. “Existem pessoas para as quais o diabetes faz bem. Afinal, ele te obriga a se cuidar melhor, a se alimentar bem, não fumar, praticar atividades físicas regularmente. O paciente precisa aprender a conviver com isso”.

É o caso do funcionário da prefeitura do campus da USP Ribeirão Preto, José Leandro Rosa, que também participa do programa. Ele descobriu que tinha diabetes tipo 1 aos 20 anos e hoje, aos 52, procura se cuidar. “A convivência às vezes é difícil, mas a gente se acostuma. Vou ao Hospital das Clínicas a cada três meses para acompanhamento e também faço contagem de carboidratos”, conta ele.

Couri vai discutir ainda as pesquisas mais recentes no tratamento do diabetes, que envolvem terapia com células-tronco e até o uso de um pâncreas artificial. O programa vai ao ar nesta sexta (17), a partir das 12 horas. O USP Analisa é uma produção conjunta da USP FM de Ribeirão Preto (107,9 MHz) e do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP.

Um festival de divulgação científica sem fronteiras

Divulgar a ciência para o público em geral é o fio condutor de uma iniciativa que vai unir Brasil, Alemanha, Austrália, Áustria, Canadá, Espanha, França, Irlanda, Itália e Reino Unido. Mais de cem cidades espalhadas por esses países realizarão simultaneamente, nos dias 15, 16 e 17 de maio, um dos maiores festivais de divulgação científica do mundo: o Pint of Science.

Em Ribeirão Preto, a coordenação das atividades está sendo feita por representantes do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP e de dois Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) mantidos pela Fapesp: Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID) e Centro de Terapia Celular (CTC). O IEA Polo Ribeirão também é o responsável nacional pelas mídias digitais.

O evento pode ser comparado a um grande festival de música, em que os artistas se apresentam simultaneamente em vários palcos a cada noite. Só que, nesse caso, em vez de artistas, há pesquisadores conversando com o público e esclarecendo dúvidas em restaurantes, cafés e bares. No lugar da música, a melodia que será ouvida nesses palcos está relacionada a biologia, computação, engenharia, estatística, filosofia, física, história, matemática, química, sociologia e muito mais.

“A ciência brasileira enfrenta uma de suas maiores crises de financiamento e credibilidade. Por isso, divulgá-la nunca foi tão importante e tão urgente quanto agora. Nosso objetivo é mostrar que, sem ciência, tecnologia e inovação, não existe desenvolvimento”, explica a coordenadora nacional da iniciativa, Natalia Pasternak, que é doutora em genética molecular pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

Este ano, o festival alcançará 22 cidades em todo o Brasil. Em São Paulo, serão dez municípios: Araraquara, Botucatu, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São Caetano do Sul, São Paulo, São Carlos e Sorocaba. Além deles, outros 12 em diferentes Estados participarão do festival: Belo Horizonte (MG), Blumenau (SC), Brasília (DF), Curitiba (PR), Dourados (MS), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Teresina (PI).

O evento é gratuito no Brasil e as pessoas só pagarão o que consumirem nos locais em que acontecerão os bate-papos científicos. A programação completa dos bate-papos estará disponível no site do evento a partir do dia 27 de março.

(Com informações da Assessoria de Comunicação do Pint of Science Brasil)

USP Analisa desta semana aborda doenças inflamatórias

Qual a importância de conhecer melhor as doenças inflamatórias? E que impacto a pesquisa nessa área gera na vida da população? 

Para falar sobre isso, o programa USP Analisa recebe nesta semana a coordenadora de Educação e Difusão do Conhecimento Rita Tostes e o gestor de Educação e Difusão do Conhecimento Juan Azevedo, ambos do Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (CRID), um dos centros de pesquisa, inovação e difusão (Cepids) mantidos pela Fapesp no campus da USP em Ribeirão Preto.

Segundo Rita, o CRID teve início em 2013 e é um projeto de longo prazo, com previsão de duração até 2022. “Nosso objetivo é descobrir novos alvos biológicos e assim poder desenvolver medicamentos mais eficazes para doenças inflamatórias. Outro tema pesquisado pelo centro são os marcadores de diagnósticos, importantes para determinar se as pessoas têm aquela doença”, explica.

Uma das exigências da Fapesp para o apoio aos Cepids é a difusão do conhecimento. Juan conta que essa área do projeto tenta alcançar três tipos de público: os próprios pesquisadores em doenças inflamatórias, o público leigo e os estudantes de ensino médio e fundamental. “A difusão do conhecimento vai muito além da simples divulgação. Você tem um conhecimento, no caso, em doenças inflamatórias, e precisa transferi-lo de uma forma que seja acessível a um público cada vez maior”.

Entre as atividades de difusão realizadas pelo CRID em quatro anos, estão a realização de vários eventos, tanto científicos quanto voltados ao público em geral, oficinas em parceria com a Zoom Lego Education, o projeto Jovem Imunologista e o desenvolvimento de um jogo para celulares e tablets. “Considerando o impacto do Centro na comunidade, a difusão é o que mais conseguimos mensurar. Existe um despertar para algumas questões, a curiosidade dos estudantes e a desmistificação da imagem do cientista”, diz Juan.

A entrevista vai ao ar nesta sexta (10), a partir das 12h. O USP Analisa é uma produção conjunta da USP FM de Ribeirão Preto (107,9 MHz) e do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP.  Os programas anteriores podem ser acessados no link: http://ribeirao.usp.br/?page_id=11013

Ciência com Pipoca

Data: 12 e 13 de dezembro, às 15h e 19h
Local: CineClube Cauim, rua São Sebastião, 920, Centro de Ribeirão Preto.
Inscrições: Evento gratuito, sem necessidade de inscrição

O Ciência com Pipoca proporcionará quatro sessões diferentes e inovadoras no CineClube Cauim, nos dias 12 e 13 de dezembro, às 15 horas e às 19 horas.

O objetivo do evento é utilizar trechos de filmes, séries e documentários para apresentar ideias e conceitos científicos. O enredo será dinâmico e cativante, e os narradores serão os professores e pesquisadores da Universidade de São Paulo.

A primeira sessão, dia 12 às 15h, tratará de neurociências, memórias e sentimentos, e às 19h, o tema será robótica e inteligência artificial. 

No dia 13, às 15h,  a apresentação abordará as características e aplicações da radiação, e às 19h, será debatido o uso e o impacto das novas tecnologias de informação na sociedade.

A participação é gratuita, sem necessidade de reservas, e as vagas serão preenchidas por ordem de chegada. A programação completa e mais informações estão disponíveis no site: www.cienciacompipoca.wixsite.com/2016 e no Facebook: www.facebook.com/cienciacompipoca/

O evento é uma realização do Instituto de Estudos Avançados da USP, Polo Ribeirão Preto (IEA-RP), Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (CRID), Centro de Terapia Celular (CTC) e Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP São Carlos (ICMC-USP), com o apoio da Rádio USP Ribeirão Preto.

Seminário Cultura Viva

Data: 09/12 das 9h às 14h
Local: Anfiteatro Prof. Dr. Ivo Torres, Bloco A (FEA-RP)
Inscrições gratuitas: Clique aqui

O Centro de Estudos em Gestão e Políticas Públicas Contemporâneas (GPublic) promoverá no dia 9 de dezembro, às 9h, o "Seminário Cultura Viva". A atividade será no anfiteatro Prof. Dr. Ivo Torres, Bloco A, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP).

O objetivo do evento será apresentar e debater projetos de captação de recursos para pontos de cultura do programa Cultura Viva do Ministério da Cultura. Os debatedores serão Sócrates Júnior, representante da associação Pró-Esporte e Cultura, e Mariana Souza, vinculada à Goal Projetos.

O seminário contará também com a apresentação de seis projetos, sendo eles:  projeto Vivarte, Feira de Livros de Barretos, KombiKonta, Projeto Internacional de Produção Artística ‘Casa Pipa’, Invasão Cultural Itinerante e o Projeto Luz. Câmara. Projeção!

Os coordenadores serão os professores João Luiz Passador e Cláudia Passador, ambos da FEA-RP. 

O evento conta também com o apoio do Instituto de Estudos Avançados da USP, Polo Ribeirão Preto (IEA-RP), Ministério da Cultura e Consórcio Intermunicipal Culturando.

Mais informações: iearp@usp.br ou (16) 3315-0368.